sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Para não esquecer. Para lembrar.



"A journey of a thousands miles begins with a single step." confucious


Foto/Picture: Parc Mont-Tremblant
Ouvindo/Listening:Rentre A Pies (Les Cowboys Fringants)

Eu não havia dormido em casa. Eu precisava acordar cedo. Aqui estava eu acordando às 6:30 am. Aqui estava eu chegando em casa às 7:10 am. Aqui estava eu esperando por mais de 1 hora a carona chegar. Sono. O fato foi que arrumei tudo às pressas, mas sempre esquecendo de alguma coisa.

O destino foi o Parc Mont-Tremblant ao norte de Montreal e há cerca de uma hora de carro. Carro e iPod em uma paisagem que encantava só em imaginar as montanhas e os telhados das casas cheios de neve. Dorme e acorda. E dorme. E acorda novamente. E chegamos na pequena vila, uma cidade de bonecas. Um pequeno teleférico (patrocinado pela Wolks) nos leva a um nível mais elevado da vila no qual se concentram a maior parte das atrações turísticas do local. Decidimos então pagar para irmos ao topo do monte Tremblant e em seguida descer a montanha em uma espécie de carrinho de rolimã.

Praia? De fato a concepção de areia e água salgada é um pouco diferente. Mas era praia, os lagos e a areia. Passeamos ao redor do parque sem compromissos. Pique-nique. E surpreendentemente encontramos um alce com seu filhote dando o "ar da graça". E lá se foram a tarde e a noite. Na volta, nada de dorme e acorda. Desmaiei. Contente.


Mais fotos/More Pics: http://bit.ly/aiq7hk

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

De andar para conhecer

Foto / Picture: La Biosphère 
Ouvindo: I Can't Get My Head Around It (Aimee Mann) "But I cannot get my head around it, baby / I cannot get my head around it, baby / 'Cause that's just not the way / You make me feel"

É um parque. Não há muito o que se surpreender. De muito ouvir falar sobre resolvi conferir. No início da tarde peguei minha linha laranja em direção a curta amarela, na qual chegaria ao Parc Jean-Drapeau, na îles Saint-Hélène et Notre-Dame. Não posso negar que praticamente 80% dos eventos acontecem aqui. Festivais, competições & Cia. O parque reúne basicamente um parque de diversões, La Ronde; um museu Stewart; um clube - ou como é chamado, um complexo aquático; um casino; uma praia - na verdade um rio; e uma das mais extraordinárias obras arquitetônicas que conheço: a Biosphère.

Construída para a Expo 67, a Biosphère é um espaço dedicado ao meio ambiente. Fora a sua estrutura - um espetáculo a parte - aqui podem ser conferidas diversas exposições sobre variados temas ligados ao meio ambiente. Só pra ficar registrado.

Venha para tomar um banho de piscina e um sol no verão. Venha para se divertir no parque de diversões. Venha para o casino. Venha para a "praia". Venha para fazer nada. Nunca venha para fazer tudo.


Mais fotos / More Pics: http://bit.ly/d7RO8n

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Um punhado de framboesas III

Foto / Picture: A casinha / The little house
Ouvindo / Listening: Spirit of Freedom (World Cup 2010 Soundtrack) "Be home today, be home today, shine the sprit of freedom / If you're ready then came, if you're ready then came!"

Depois de passarmos um bom tempo nos divertindo matando moscas (daquelas bem grandes e com as mãos), por volta das 16:30 decidimos partir para a última parada. Recolhemos as besteiras que comemos (chocolates, refrigerantes, sanduíches, etc) e as mochilas. Vamos!

Um pequena casa no meio da floresta. Nada de energia elétrica e três cômodos: um deles a cozinha, com uma mesa de jantar, uma estante, um sofá e um forno a lenha, o sótão com uma cama, e o mais interessante de todos, um espaço para fazer Maple Syrup. Explicando. Aquela folha que pode ser vista na bandeira canadense vem de uma árvore chamada Maple, e que pode ser encontrada em todos os cantos por onde você vá (pelo menos em Toronto e Montreal). O fato é que eles fazem um xarope (syrup) a partir do sumo retirado desta árvore, muito conhecido por aqui. A passagem foi rápida, mas a casinha no meio da floresta mais parecia ter saído de um conto de fadas. Branca de Neve e cia.

Nos despedimos da pequena Saint-Étienne-Des-Grès já pensando na próxima vez que voltaríamos a sentir aquele ar fresco novamente. O que faz muita falta, pois quando você vai se aproximando de Montreal é fácil sentir o ar poluído e pesado. De volta a realidade. Uma realidade ainda muito boa.


Mais Fotos / More Pics: http://bit.ly/99QHoE

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Um punhado de framboesas II

Foto / Picture: O deck  
Ouvindo / Listening: Concierto de Aranjuez (John Williams) - Spanish Guitar


Coisa de interior. Quando pagávamos as coletadas framboesas duas senhoras não resistiram em perguntar se eu era de fora e entre risadas confirmamos a dúvida, "aqui, todo mundo se conhece". Não cheguei a comentar o fato de que as pessoas aqui não falam inglês, apenas francês, o que aumentava o charme da coisa toda.

Próxima parada: Lac de Six (ou Lago dos Seis). Depois de mais alguns minutos de carro em uma estrada de barro paramos em lugar nenhum. Pegamos o cooler, as mochilas e "Vamos andar!", a propósito, mais do que eu imaginava. Entramos no meio do mato, subimos, descemos, subimos, descemos. Na minha cabeça corria a leve sensação de que não havia um caminho certo, apenas um destino, o lago. Depois de uns 10 min. de andada nos deparamos com uma mesa de madeira, com acentos, um belo deck e alguma coisa mais a frente escondida pelas plantas. 

Definitivamente um cartão postal. Podia-se ver apenas duas das 6 pequenas ilhas que dão nome ao lago. Podia-se ver também algumas casas escondidas no meio da floresta, daquelas com lareiras e vários troncos cortados do lado de fora (que na verdade eu não pude ver). Ficava imaginando um inverno naquele lugar. Enfim. O tempo em Montreal costuma ser bem imprevisto, na mesma semana não é muito difícil você ter tempestades, um sol de 30º e chuva de granizo, mas esse dia foi um presente: Sol forte, céu azul, poucas nuvens e uma brisa pra refrescar.

Nada mais a fazer, nada para se preocupar.


Mais fotos / More Pictures: http://bit.ly/c6iNVB

terça-feira, 27 de julho de 2010

Um punhado de framboesas I


Foto / Picture: Uma cesta de framboesas / a basket of raspberries
Ouvindo / Listening: Pacience (Guns and Roses): "...girl, I think about every day now, Was a time when I wans't sure, But you set  my mind at ease..."


Saint-Étienne-Des-Grès. Esse foi o nosso destino. Na verdade, eu não sabia exatamente para onde estávamos indo até chegarmos definitivamente as proximidades da cidade, quando pude ver algumas placas. A viagem  levou cerca de 1 hora e meia, chegamos por volta de 10:30 da manhã.

Atravessamos a pequena cidade, com um típico "ar" de interior, pequenas casas "perfeitinhas" e as pessoas na rua olhando para o carro não visto tão frequentemente. Fomos em direção a nossa primeira parada: a plantação de framboesas. Com relação a fruta, certamente só havia tido contato atráves picolés, sucos artificiais e afins, seria minha primeira vez com ela, assim, "fresca".

Chegamos na plantação. Podia-se ver diversas fileiras de pequenos arbustos, algumas pessoas concentradas em seus trabalhos e uma pequena barraca logo na entrada, atulhada de coisas. O sistema é simples. Cada pessoa deve pegar um pequeno pote, que pode ser carregado no pescoço, uma pessoa lhe indica a área na qual você pode fazer as coletas, e há ainda uma cesta na qual todas as framboesas coletadas devem ser colocadas para pesagem e pagamento. Ha! Um detalhe, coma o quanto quiser! Você pode morrer vermelho de tanto comer. Um bônus.

Elas são definitivamente vermelhas. De uma cor espetacular. E é muito fácil saber quando estão maduras, elas simplesmente caem na sua mão, como quem pede "me leve", carinhosamente. Passamos cerca de 1 hora lá, em pé, agachados, sentados na grama. Enchemos a cesta. Fiquei particularmente orgulhoso em carregá-la. Passamos pela pesagem, não sei exatamente o peso, uns 2kg provavelmente. Pagamos cerca de $12 dólares.

Particularmente, não gostei do sabor, apesar da experiência. Pensando melhor, não foi o sabor, foi a textura, as pequenas sementes que acompanham as mordidas atrapalham a degustação. Mas elas ainda são vermelhas.


Mais fotos / More Pics: http://bit.ly/99QHoE

domingo, 18 de julho de 2010

3 meses + 1

BONJOUR!

GOOD MORNING!

BOM DIA!

SALUT!

HELLO!

OLÁ!

COMMENT ÇA VÁ?

HOW ARE YOU?

COMO VAI?

ÇA VÁ BIEN!

I'M OK!

EU VOU MUITO BEM, OBRIGADO!





Foto / Picture: The Village
Ouvindo: Good People (Jack Johnson) "You win, it's your show now / So, what's it going to be? / Because people will tune in / How many train wrecks do we need to see?


Para aqueles com que convivi em Toronto e que me encontram na internet e para aqueles que me conhecem em Montreal, a pergunta é sempre a mesma: "Qual das duas cidades você gosta mais?" e a resposta é sempre a mesma: "Não existe comparação". Na verdade, as comparações existem, mas não posso dizer que uma é melhor do que a outra. Passei este primeiro mês em Montreal - sim, hoje se completa 1 mês e 3 que cheguei no Canadá - comparando as diferenças entre as duas cidades, é inevitável. Cada uma tem sua própria rotina, pessoas, comportamentos e, não posso esquecer, línguas! 

Tudo começa no aeroporto: placas de sinalização, propagandas, conversas - e muitas outras coisas - deixam o inglês de lado, em letras pequenas, para dar espaço a musicalidade da língua francesa. Com as pessoas: deixa-se para trás o ambiente cosmopolita de Toronto e percebe-se a simplicidade e homogeneidade do povo desta cidade. No metrô e nas ruas não se vê mais iPods, iPhones e Blackberries por todos os lados. Me assustei quando vi um garoto com um "discman" no metrô - não sei quando foi a última vez que vi um em Salvador. Na cidade: Montreal espalha seu charme por todos os lugares que se vá, com seus prédios e casas de estilo antigo, ruas bem pavimentas e arborizadas, ruas estreitas e folhas espalhadas pelas ruas. A realidade é que a simplicidade das pessoas é uma forma de respeitar a beleza da cidade. A vida cultural aqui é excepcional! Festival de jazz, de musica latina, de fogos de artifício, de percussão, de moda e outros, e outros, e outros mais, durante todo o ano! E ainda: parques, museus, cinemas, shoppings. A verdade é que eu fiquei stressado só de pensar em não perder coisa alguma - de uma forma positiva, obviamente. 

É engraçado como as pessoas das duas cidades se enojam, não é difícil perceber o sentimento de desdém quando digo para alguém de Montreal que estive morando em Toronto por um tempo. Mas como bem diz o ditado "quem desdém quer comprar", não é mesmo? E as duas cidades se completam e fazem um casamento perfeito.




:: Poste Indicativo na "Velha Montreal" / Post Code at Old-Montreal :: Região da The Village - Rue Saint Catherine / The Village - Saint Catherine Street :: Performista no Festival de Jazz / Performer at International Jazz Festival

Mais fotos: http://www.facebook.com/album.php?aid=2062572&id=1046507475&l=538dda7648

domingo, 27 de junho de 2010

MONTREALJAZZFESTIVAL.COM


+ 18 ESPAÇOS DE APRESENTAÇÃO

+ 800 APRESENTAÇÕES MUSICAIS

+600 PERFORMANCES ARTÍSTICAS 

+ 2.5 MILHÕES DE PESSOAS

+ 12 DIAS DE FESTIVAL

+ 31 ANOS DE FESTIVAL















Foto / Picture: Totem / 
Ouvindo: Rua do Sossego (Banda EVA) "... Acorda cedo o balanço da métrica / Repete o coro em favor da alegria / Revela cores trazidas da Africa / Sincretizando o Axé da Bahia"


Tenha paciência, falarei da cidade depois. O Festival grita. Já havia ouvido falar muito sobre o Festival Internacional de Jazz de Montreal. Já havia ouvido falar muito bem do Festival Internacional de Jazz de Montreal. Mas jamais - eu disse, jamais! - poderia imaginar, não o porte do evento, que sem dúvidas é gigantesco, mas o caráter extraordinário dos artistas. É inevitável não arrepiar, inevitável não gritar, é inevitável não aplaudir e gritar ainda mais. 


http://www.montrealjazzfest.com

terça-feira, 22 de junho de 2010

Na partida, a chegada

LIVROS 

CDS

VINIS

CAMISETAS

MOCHILAS

GRAVURAS

COMPRAR OU NÃO COMPRAR, EIS A QUESTÃO!













Foto / Picture: Function 13

Ouvindo / Listening: The Next Time Around (Little Joy) "One too many goas / That measure out your worth / To seek your weight in gold"



Por acaso, me encontrei novamente naquela rua encantada. Novamente China Town. Havia estado alí no meu primeiro final de semana em Toronto, com David. Havíamos almoçado em um restaurante de comida Thailandesa e logo depois ele me mostrou aquela rua. O que se pode ver são várias casinhas enfeitadas, com araras e mesas em seus pequenos jardins, entupidas de roupas e “trecos” para vender. A primeira vista parecem aquelas feiras de velharias, roupas de décadas: 60s, 70s, 80s e por aí vai.

Era quinta-feira (da última semana) e ainda não sabia que logo depois dalí iria me perder. Mas estava alí. Depois de passear, encantado como se fosse a primeira vez, me deparei com uma loja, um 13 enorme na placa, “Function 13”. Ganhei o dia. Livros, CDs, discos de vinil, roupas. A loja foi daqueles achados, para poucos. Devo ter passado pelo menos 1 hora lá olhando, olhando, pensando em comprar, pensando em não comprar, comprei. Não podia perder a oportunidade. 


segunda-feira, 21 de junho de 2010

Um dia de Fé

ÔNIBUS: $30.00

BOAT PARA VER DE PERTO: $15.00

FOTO FAKE: $25.00

HOTDOG + COKE: $8.00

FICAR TODO MOLHADO COM AS ÁGUAS DAS CATARATAS: NÃO TEM PREÇO!














Foto / Photo: Saída da barco que nos leva para perto das Cataratas.

Ouvindo / Listening: In my bed (Amy Winehouse) "You'll never get my mind right
Like two ships passing in the night
In the night, in the night"


Tive que ir sozinho, não tive outra alternativa. Depois de tanto postergar em conjunto acabamos não indo ver a Caratas do Niagra. A previsão tempo indicava 4 dias de tempo fechado e chuva naquela semana (a última!), sol apenas na sexta. As 6 a.m. da quinta-feira, com o céu ainda entre nuvens decidi que seria agora ou nunca! Deixa isso para meu último dia em Toronto não seria uma boa idéia.

Depois de muito procurar o terminal de ônibus em Toronto (mesmo tendo estado lá no dia anterior), pegue um às 10 a.m., 2 horas de viagem e mais um ônibus para chegar as Cataratas. A cidade que cerca as cataratas parece uma maquete composta basicamente de hotéis, casinos, restaurantes e atrações para diversão. Existem também algumas atrações relacionadas as Cataratas, como um barco que vai até os pés da atração, trilhas por trás e algo parecido com um teleférico.

No final das contas: 4 horas de caminhada, um passeio de barco aos pés das Cataratas, muitas fotos e alguns souvenirs comprados. E a propósito, o dia foi perfeito.


:: 2 horas de viagem / 2 hours trip :: Mais um ônibus / One more bus :: Antes de pegar o barquinho / Before take the Boat
Mais fotos / More Pics: http://www.facebook.com/album.php?aid=2059112&id=1046507475&l=fa37420f86

domingo, 20 de junho de 2010

A toalha molhada e o Homem de Ferro

ONIBUS NA STEELS AND HILDA AV.


METRÔ NA FINCH SUBWAY STATION

BALDEAÇÃO NA YONGE SUBSTATION

BLOOR PARA ST. GEORGE STATION

ST. GEORGE PARA ST. PATRICK STATION

2 MIN. DE STREET 
CAR.

CHINA TOWN!











Foto: Mar de placas de sinalização das lojas em China Town

Ouvindo: Woman no Cry (Bob Marley) "Good friends we have / Oh, good friends we've lost / Along the way / In this great future / You can't forget your past / So dry your tears, I say"



Como um verdadeiro dia de partida, tinha muitas coisas para fazer, pouco tempo e alguns imprevistos, vamos lá:

1. Devolver o travesseiro emprestado de David.
2. Comprar alguns souvenirs.
3. Comprar uma mala nova.
4. Almoçar com amigos.
5. Partir para Montreal.

Para começo de conversa a mala nova foi um imprevisto, o plano era levar tudo em uma só. Mas como na noite anterior descobri que poderia levar apenas 23 kg em duas malas (cada) tive que colocar a compra de uma nova nos planos.

A compra dos souvenirs estava planejado e o objetivo foi alcançado. Fui a China Town procurar algumas “lembranças” boas e baratas (na verdade já havia encontrado uma loja no dia anterior). O que não estava planejado era as lojas abrirem apenas a partir das 11 a.m., aos sábados. 1h 30 min. de espera assistindo o início do jogo entre Dinamarca e Camarões, muitas chances de gol desperdiçadas. Comprei a mala e as besteiras.

O almoço planejado foi desmarcado, não pelas compras, mas pelas lojas e a mala. O travesseiro não devolvi, não consegui falar com David, ele - o travesseiro - vai conhecer Montreal.

Voltei para casa para (re)arrumar tudo, no final continuei procurando espaço, já que não comprei achei uma mala boa e de tamanho razoável (China... todo cuidado é pouco). Com tudo pronto ficou a pergunta: “quanto (peso) será que tem aqui?”. No check-in descobri que a mala grande estava um pouco acima do peso, tirar uma toalha molhada que havia usado há pouco foi suficiente.

No raio-x outro processo, depois de tudo passado lá estou eu sendo revistado. O sensor definitivamente não foi só com a minha cara, mas o corpo inteiro! Apitava nas costas, nas pernas, na cintura e lá ia o sujeito buscar alguma coisa onde só havia carne e osso. Definitivamente, um Homem de Ferro.





:: Polícia bloqueando a rua da comemoração :: Union Station View
:: Trem passando :: CN Tower View

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Replicante

BY WALK
BY FOOT
BY BIKE
BY CAR
BY PLANE
BY SWIM

RUNNING!

JUMPING!

FLYING!

JUST DISCOVER!















 Foto: Woodbine Beach (Toronto, Canadá)
Ouvindo: Entre Dos Aguas (Paco de Lucia): Spanish Guitar


 Como muitos me apontaram antes de chegar aqui Toronto é a São Paulo canadense. Certamente não tão grande, temos aqui apenas 2.5 milhões de habitantes, contudo, a diversidade abraça a cidade e sem dúvidas vai ser difícil voltar ao convívio das pessoas "normais". A arquitetura se mistura com o modo de se vestir das pessoas, com as quais você pode se surpreender a cada dia pelos diferentes estilos e comportamentos, se mistura também com a diversidade étnica, o mundo sopra seus ares por aqui: são japoneses, koreanos, brasileiros, russos, kazaques, venezuelanos, colombianos, sauditas, chineses (apenas como exemplos). Há de se misturar ainda as religiões, principalmente as histórias do Corão e as interjeições de incompreensão: "como isso é possível?!" Diante de tanta diversidade, a educação das pessoas encontra o seu ponto em comum, com suas exceções obviamente, mas são apenas exceções, pois não há carro que não pare ao ver um pedestre na esquina de uma rua, mesmo com o trânsito aparentemente louco da cidade.


:: China Town Toten :: Green Car
:: Mandarin Restaurant :: Subway Rails

segunda-feira, 24 de maio de 2010

De pernas para o ar

MOHAMMED! MOHAMMED! MOHAMMED!

DO YOU KNOW WHERE ARE YOU GOING?

OF COURSE! OF COURSE! OF COURSE!
OF COURSE! OF COURSE! OF COURSE!

MOHAMMED! MOHAMMED! MOHAMMED!

DO YOU KNOW WHERE ARE YOU GOING?

PLEASE SR., IS THIS THE WAY TO GET TO THE BEACH?

NO. NO. NO. NO.
NO. NO. NO. NO.

MOHAMMED!










Ouvindo: Take Me Out (Franz Ferdinand) "So if you're lonely / You know I'm here / Waiting for you / I'm just a crosshair / I'm just a shot away from you / And if you leave here / You leave me broken"

Em conversa com Cristiane, comentávamos sobre a mudança de rotina. Em contraste ao dia-a-dia agitado no Brasil (faculdade, trabalho, cursos, etc. etc. etc.) é meio perturbador ter apenas aulas até 14h e depois simplemente: nada a fazer. Claro que temos que estudar e fazer coisas do tipo, mas com uma boa dose de disciplina sobra tempo, e muito. E eu me pergunto: o que fazer?

Apesar da chuva no sábado e domingo a última semana fez um sol bom e esta semana promete. Dizem as màs linguas que chegaremos aos 31º. Começamos um novo período no curso. Novas pessoas na turma: dois koreanos calados (para sustentar o esteriótipo asiático), uma russa (com elevados graus de empolgação) e uma colombiana, 17 anos. O termo nem começou e já estou atolado de coisas. Apesar do final de semana prolongado (hoje é celebrado o aniversario da Rainha Victoria) terminei por fazer poucas coisas.

QUATRO COISAS:

Primeira Coisa: Comprei um celular. As pessoas gritavam para que eu fizesse isso. Vou confessar que me sintia um pouco mais livre sem ele.

Segunda Coisa: Comprei as bandeiras do Brasil e do Canadá. Uma pra torcer e a outra para relembrar.

Terceira Coisa: Primeira ressaca, após curtir a noite em um bar para adeptos ao rock.

Quarta Coisa: Na última quinta-feira fomos jogar volei na praia. Água parada. Água gelada.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Por aqui cheguei e de nada falei

FINCH STATION. 

NORTH YORK CENTRE STATION

SHEPPARD-YONGE STATION

YORK MILLS STATION

LAWRENCE STATION

EGLINTON STATION

DAVESVILLE STATION

ST. CLAIR STATION

SUMMERHILL STATION

ARRIVING AT ROSEDALE.
ROSEDALE STATION.

DE CÓ!




Ouvindo: Yellow Submarine (Beatle) "So we sailed up to the sun / Till we found the sea of green / And we lived beneath the waves / In our yellow submarine / We all live in a yellow submarine / Yellow submarine / Yellow submarine".


De fato desde que cheguei acabei postando nada sobre dados de Toronto City, e como bem diz o ditado antes tarde do que nunca, vamos lá:

1. A cidade de Toronto possui a mais alta torre do mundo, a CN Tower, com 553,33 metros de altura. Dizem que você pode vê-la de qualquer lugar da cidade. Nem sempre.

2. Aqui fica também a maior rua do mundo (apesar de parecer mais uma avenida), a Yonge Street possui 1.896 km. Essa sim você encontra em qualquer lugar.

3. A população canadense é absurdamente mal distribuída pelo territorio nacional. A população da cidade de Toronto é maior do que a junção da população de 4 províncias banhadas pelo oceano Atlântico (não me pergunte, só sei que o país possui 10 províncias).

4. O nome Toronto tem origem indígena, mais especificamente Huron, e significa "Fishing Weir", tranduzindo ao pé da letra "Açude de Pesca".

5. Toronto é uma das cidades mais multiculturais do mundo. Aqui você pode encontrar bairros que concentram diferentes etnias, as chamadas "Little Towns". Já ouvi falar da Little Italy, Little Portugal e China Town. Vou procurar saber de outras.

Trago mais informações nos próximos posts!
  

domingo, 16 de maio de 2010

Fine Indian Cuisine

CONHECE?! NÃO.
CONHECE?! NÃO.
CONHECE?! NÃO.

O QUE É ISSO? O QUE É ISSO?
O QUE É ISSO? O QUE É ISSO?

ALGUMA COISA COM CARNE.

O QUE É ISSO? O QUE É ISSO?
O QUE É ISSO? O QUE É ISSO?

ALGUMA COISA COM FRANGO.

E ISSO?

NÃO FAÇO IDÉIA! HAHAHA!

VOU PROVAR. VOU PROVAR.
VOU PROVAR. VOU PROVAR.

COME DE MÃO! É MAIS GOSTOSO!

TA BOM...






Ouvindo: Quem (O Circulo) "Minha palavra é cupim na sua cara, é pó no chão, é pó no chão. Minha palavra é cupim na sua cara. De quem? Quem você pensa que é?"

Na última sexta-feira foi a finalização do termo na ILAC (os termos são finalizados a cada 4 semanas). Para celebrar o dia, após a finalização das avaliações, as turmas de Advanced Academic Study foram almoçar em um restaurante indiano, na Little Índia (um dos centenas de "Little" bairros que representam países em Toronto). Fomos em um restaurante chamado Little Índia Restaurant.

Chegando lá nos deparamos com a entrada do restaurante completamente lotada. Por precaução, Alex (nossa professora) havia reservado mesas (estávamos em 15) e logo subimos. Quase que como uma pechincha pagamos $10,95 para comer a vontade (inclusive as sobremesas), e comemos MUITO! A única coisa que posso dizer é que a comida é muito boa, pois definitivamente não sei o nome das coisas!

1 CONSTRANGIMENTO: É absolutamente constrangedor você tentar abrir as portas dos lugares e as mesmas abrirem sozinhas e você fica com a cara de retardado. Depois de tamanha gentileza o minimo que posso fazer é entrar.

domingo, 2 de maio de 2010

Adelade St. with John St.

SAINDO DE CASA.
SAINDO DE CASA.

40 MIN. 40 MIN. 40 MIN.
40 MIN. 40 MIN. 40 MIN.
40 MIN. 40 MIN. 40 MIN.

ST. ANDREW ST. ANDREW ST. ANDREW
ST. ANDREW ST. ANDREW ST. ANDREW

ADELADE COM A JOHN?
ADELADE COM A JOHN?

CHEGUEI! CHEGUEI!
CHEGUEI! CHEGUEI!

LEVANTA A MAO!
LEVANTA A MAO!
LEVANTA A MAO!

NAO, NAO PRECISO DE UM TAXI.









Ouvindo: Ainda Gosto Dela (Skank) "Hoje eu acordei sem lembrar, se vivi ou se sonhei. Voce aqui nesse lugar, que eu ainda nao deixei. Vou ficar..."

Final de semana bem tranquilo. Sabado a noite sai com David e Miranda para comemorar o aniversario de Nik. Depois de sairmos de um tranquilo restaurante na Adelaide com a John Street partirmos de taxi para o Maro (http://www.uniqlifestyle.com/venues_maro.html), um lounge badalo por mulheres com seus saltos de destruir qualquer dedo do pe e homens de sapatos sociais. Digo sapatos sociais pois tive que esperar um amigo de Nik trazer um sapato pois nao pude entrar de tenis. Apesar do contra-ponto a noite foi muito boa, gente bonita e um repertorio musical sem defeitos.


3 INDIGNACOES:

A PRIMEIRA: Pelo que entendi, na provincia de Ontario, apenas duas lojas podem vender bebidas alcoolicas para o publico final: a The Beer Store e a LCBO. Alem disso, as pessoas nao podem andar pelas ruas consumindo esse tipo de bebida.

A SEGUNDA: As festas terminam impreterivelmente as 3:30 a.m.. O resultado e que a partir das 2:30 a.m. as pessoas comecam a se despedir em busca de locais mais discretos para se divertir ou comer.

A TERCEIRA: Esqueci. Deixa para o proximo post. Rsrs

sábado, 1 de maio de 2010

CN Tower

CORRENDO, CORRENDO, CORRENDO, CORRENDO

PROCURANDO, PROCURANDO, PROCURANDO

E NADA ENCONTRANDO

CORRENDO, CORRENDO, CORRENDO, CORRENDO

PROCURANDO, PROCURANDO, PROCURANDO

ALTO, MUITO ALTO, ALTO DE VERDADE
ALTO, MUITO ALTO, ALTO DE VERDADE

DIFICIL, REALMENTE DIFICI
DIFICIL, REALMENTE DIFICIL
DIFICIL, REALMENTE DIFICIL

MAS E ESSE O CAMINHO...












Ouvindo: Going To School (John Williams) - Trilha sonora do filme Memorias de uma Gueisha.


Essa semana criei um outro blog para postar o meu dia-a-dia, atualmente em Toronto, Canada. O resultado desta semana foi que eu estou com 3 blogs, e nenhum foi atualizado. De fato, 3 e meio desesperador. Entao vou incluir meu dia-a-dia aqui mesmo.

2 SURPRESAS:

A PRIMEIRA: Nesta segunda-feira a declaracao do Ministro da Saude brasileiro, sobre a pratica sexual como forma de exercicio fisico para uma vida mais saudavel foi parar na capa de um jornal gratuito e muito popular em Toronto, o Metro.

A SEGUNDA: Terca-feira acordei com o rosto e as pernas esbranquicados. Logo descobri que minha pele esta ficando ressecada. Prontamente, fui em uma drogaria para comprar hidratante para amenizar a situacao.


domingo, 25 de abril de 2010

China Town

HAVE YOU EATEN THAI FOOD?
HAVE YOU EATEN THAI FOOD?

NO NO NO NO NO NO NO

HAVE YOU EATEN VIETNAMESE FOOD?
HAVE YOU EATEN VIETNAMESE FOOD?

NO NO NO NO NO NO NO

HAVE YOU EATEN INDIAN FOOD?
HAVE YOU EATEN INDIAN FOOD?

THAI? THAI. THAI? THAI. THAI?
THAI? THAI. THAI? THAI. THAI?

SPICY! SPICY! SPICY! SPICY!



Ouvindo: Le Moribund (Beirut) "Adieu l'Émile je t'aimais bien / Adieu l'Émile je t'aimais bien tu sais / On a chanté les mêmes vins / On a chanté les mêmes filles / On a chanté les mêmes chagrins" 

Conhecendo o centro de Toronto, David me levou para conhecer China Town, região da cidade ocupada majoritariamente nao apenas por chineses, mas sobretudo, pela população asiatica de maneira geral. Placas indecifraveis, comida barata, feiras hippies e uma mistura indescritível de tribos. FASCINANTE! A propósito, a comida Thailandesa e, de fato, apimentada!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

277 Winding Lane, Thornhill

GARAGEM CARRO GARAGEM CARRO
GARAGEM CARRO GARAGEM CARRO

SENHORA PASSEANDO COM CACHORRO

GARAGEM CARRO GARAGEM CARRO
GARAGEM CARRO GARAGEM CARRO

CRIANCA ANDANDO DE BICICLETA

GARAGEM CARRO GARAGEM CARRO
GARAGEM CARRO GARAGEM CARRO

OLHA! UM ESQUILO!














Ouvindo: Se Lembra (Cassia Eller) "Mudaram as estacoes, nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu..."

Muita coisa aconteceu, e na verdade, tudo mudou. Casas praticamente iguais, carros que nao se repetem e aprendendo a andar de onibus. Ate a fonte do texto mudou! E de vez enquando a gente se depara com um esquilo atravessando a rua.

sábado, 17 de abril de 2010

The moment precedes departure: Salvador-Toronto



BEIJOS ABRAÇOS BEIJOS ABRAÇOS

RISADAS RISADAS MUITAS RISADAS

BEIJOS RISADAS RISADAS LEMBRANÇAS

ABRAÇOS ABRAÇOS RISADAS BEIJOS

LEMBRAÇAS LEMBRANÇAS BEIJOS

LÁGRIMAS

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O Momento que precede a partida - Salvador-BA

LAVA, PASSA, DOBRA
LAVA, PASSA, DOBRA

AINDA FALTA!

LAVA, PASSA, DOBRA
LAVA, PASSA, DOBRA

ESTÁ FALTANDO ALGUMA COISA?

LAVA, PASSA, DOBRA
LAVA, PASSA, DOBRA

GUARDA, GUARDA, GUARDA
GUARDA, GUARDA, GUARDA
GUARDA, GUARDA, GUARDA
GUARDA, GUARDA, GUARDA

ZORRA, NÃO DEU!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O Momento que precede a partida - Salvador-BA


MENINO! ARRUMA ESSA BAGUNÇA!


QUE BAGUNÇA DESGRAÇADA!
VALHA-ME NOSSA SENHORA!

QUE LOUCURA É ESSA AQUI RAPAZ?

AFF... TENHA FÉ EM DEUS CRIATURA!